Sarna Demodécica: dúvidas, curiosidades e tratamento

Sarna Demodécica

Sarna Demodécica

A sarna dermodécica ou sarna negra é uma doença causada por um ácaro. Existem animais que tem predisposição para a doença, sendo assim considerada uma doença hereditária. Mas pode também ser consequência de estresse por mudança de ambiente ou de alimentação, ou mesmo no caso de fêmeas no cio ou próximas do parto, causada por consequência de drogas imunodepressoras.

Manifestando-se comumente em raças como, Buldogue Inglês, Yorshire, Doberman, Pinscher entre outras, a sarna negra pode ser local ou generalizada. Os sinais estão entre: perda de pelo, avermelhamento e escurecimento da pele e descamação.

Esse tipo de sarna não causa coceira nem é contagiosa, o seu diagnóstico e tratamento deve ser feito por especialista que poderá ser feito através de shampoos, injeções ou mesmo comprimidos.

Fonte: dogdogs

Anúncios

Sarna otodécica em cães – Como tratar

Sarna otodécica

Sarna otodécica

É um tipo de sarna que atinge cães e gatos, provocada pelo ácaro Otodectes cynotis que pode provocar lesões e até mesmo otites. Os sinais de sarna são odor desagradável nas orelhas, excesso de cera nos ouvidos e coceiras extremas na orelha, que provocam lesões. Lesões estas que podem se estender pela cabeça e pescoço provocando dermatite.

A sarna otodécica é altamente contagiosa, sendo assim, se houver contato docão doente ou do ambiente infectado com outros animais, todos devem ser tratados. O tratamento é feito através de medicamentos parasiticidas diariamente, pelo tempo estipulado pelo veterinário, mas não se deve descuidar do ambiente que o animal vive, que também deve ser desinfectado.

Fonte: dogdogs

Dermatite psicogênica em cães – Tratamento

Derrmatite psicogênica nos cachorrosA dermatite psicogênica nos cachorros está diretamente ligada a fatores emocionais. Depressão e stress que também afetam os animais podem contribuir para o desenvolvimento de um comportamento crônico como este.

A dermatite por lambedura, como é chamada por muitos, tem como sintomas principais:

– Lambedura excessiva de um mesmo local;

– Formação de lesão no mesmo, geralmente circular;

Dessa forma, se a dermatite não for tratada inicialmente pode agravar-se e gerar uma infecção mais séria. Após o diagnóstico ter sido feito por especialista, o tratamento pode ser feito com administração de ansiolíticos. Este tratamento geralmente leva de 2 a 4 meses variando de acordo com o caso de cada cão.

Fonte: dogdogs

Veja quais alimentos são perigosos, prejudiciais e nocivos para os cachorros

Alimentos Perigosos

Alimentos Perigosos

O veterinário, na hora de alimentar seu cachorro, costuma indicar a melhor ração para o animal. Porém, muitos donos preferem alimentá-los com comidas preparadas em casa ou mesmo industrializadas. Nesta hora deve-se saber de detalhes importantíssimos…

O aparelho digestivo do cachorro é diferente do ser humano e pode reagir de maneira diferente com relação há alguns alimentos. Outra coisa é a questão da quantidade, não se pode dar a um cão a mesma quantidade de comida que o dono costuma comer.

Além de que alguns alimentos que costumam fazer bem para o nosso organismo, podem fazer mal ao organismo do cão, como por exemplo:

– Café: Pode causar taquicardia.

– Chocolate: pode causar vômitos, desidratação e hiperatividade.

– Ovo cru: pode provocar queda de pêlo e doenças de pele.

– Alho, cebola e cebolinha: ataca as células vermelhas do cão podendo levá-lo à anemia.

– Milho: pode causar bloqueio intestinal.

– Uva Passa: pode causar falência renal.

– Bebidas alcoólicas: diminuem a função cerebral.

– Abacate: pode causar diarreia.

– Leite: pode causar gases, distensão abdominal e diarreia.

– Truta, salmão e outros peixes: possuem um parasita nocivo para os cachorros.

– Osso de galinha: pode ferir/cortar o sistema digestivo do animal levando-o a uma hemorragia interna.

O bom mesmo é seguir as indicações do médico veterinário para manter a saúde do seu cãozinho sempre impecável. Se mesmo depois de todas esses perigos citados acima, você quiser preparar a comida do seu cãozinho, o melhor é procurar orientação profissional.

Fonte: dogdogs

Queda de pêlo em cachorro, coceira, alergia e parasitas

Queda de pêlo em cachorro, coceira, alergia e parasitasAo contrário do que muitos pensam, a queda de pêlos nos cães é normal, desde que esta queda não venha por causa de alergias de pele, dermatites, ou parasitas como pulgas, carrapatos, fungos, micoses, bactérias e ácaros, como a sarna demodécica, a sarna otodécica e sarna sarcóptica.

Troca de pêlos, a muda natural

Para os bichinhos de pelagem curta a queda de pêlo acontece duas vezes por ano, uma quando o inverno se aproxima, deixando os pêlos mais densos, e outra troca quando está chegando o verão, deixando a pelagem mais fina. Mas se você tem um cachorro de pelagem comprida, as trocas de pêlos acontecem somente uma vez por ano, já que é impossível os pêlos do seu melhor amigo crescer o suficiente em seis meses. Então, se a pelagem do seu animal não apresenta falhas visíveis, muito provavelmente ele está passando por uma muda natural.

Descobrindo a causa da queda de pêlos e da coceira excessiva

Caso a queda de pêlo venha acompanhada de uma coceira irritante e frequente, além do surgimento de falhas na pelagem e manchas vermelhas na pele, é possível afirmar que seu cachorrinho pode estar sofrendo com algum tipo de alergia de pele que, em muitos casos, está diretamente ligada aos seguintes itens:

Alergia generalizada é o tipo de alergia que é muito difícil de ser diagnosticada. Somente o dono do animal é capaz de descobrir o que faz seu cachorro ser alérgico e, consequentemente, ter queda de pêlos, pois ambos convivem diariamente. Logo, recomenda-se começar pelo shampoo usado em seu banho, troque-o pelo Peroxydex Spherulites da Virbac, excelente anti-séptico que ajuda a combater fungos, bactérias, seborreia e dermatites. Troque também o produto de limpeza (eliminador de odores e desinfetante) usado para limpar o ambiente que o seu cão vive. Mude também o tipo de comida que seu cão ingere. Faça isso gradualmente e um item por vez, até descobrir o que pode ser a causa desta alergia.

Outro tipo de alergia é o relacionado a pulgas e carrapatos. Cães que apresentam sinais de DAPP (Dermatite Alérgica a Picadas de Pulgas) não precisam de uma infestação de pulgas para começar a se coçar, basta o contato de alguns destes parasitas para a coceira começar, gerando muito incômodo e até queda nos pêlos. É altamente recomendada a realização de uma dedetização no ambiente onde seu cachorro fica para acabar com todo o ciclo das pulgas e dos carrapatos, além de começar um controle anti-pulgas preventivo e frequente no seu melhor amigo.

Os ácaros que causam a sarna demodécica, a sarna otodécica e a sarna sarcóptica também podem ser o motivo que faz seu bichinho ficar se coçando muito e o tempo todo. Se a pele do seu animal apresentar manchas vermelhas e falhas na pelagem, leve seu melhor amigo imediatamente a um veterinário. O tratamento é simples, mas quanto antes começar, melhor para a saúde e bem estar dele.

Imunidade baixa, problemas hormonais e uma alimentação não balanceada, ou seja, ração que não apresenta todos os nutrientes e vitaminas que um cão precisa, também estão diretamente ligados à queda de pêlos.

A responsabilidade de se ter um cão em casa

A responsabilidade de ter um cachorro em casa

A responsabilidade de ter um cachorro em casa (Foto: Minha dog Guilia)

A cada dia é mais comum vermos nas famílias  o convívio com animais de estimação. Na hora da escolha desses animais, a grande procura ainda é pelos cães por serem considerados dóceis e de facil socialização com os membros. Pensando nisso, preparamos uma série de observações a serem levadas em consideração antes mesmo da decisão de levar o bichinhos para casa:

  • Cuidados básicos
  • Raça e tamanho
  • Espaço
  • Custo
  • Carinho

Escolha da Raça

No momento da escolha do cão, a energia entre cão e dono devem ser compatíveis a fim de se ter um bom relacionamento. Use o critério de eliminação, porque não ter um cão de determinada raça.

Eu e Minha Pequena

Eu e Minha Pequena

Leia e pesquise sobre a raça e o comportamento do cão e se ele adequa-se ao seu estilo de vida. Além do comportamento, preocupe-se com o tamanho que ele terá quando adulto e observe se seu espaço será suficiente para comportar mais um membro e se ele será feliz nesse ambiente.Raças muito agitadas precisam de mais espaço.

Custos

A companhia, o amor, e o carinho de um mascote não tem preço, mais certamente as vacinas, o banho e a ração  terão. É importante pensar se o orçamento familiar suporta tais gastos, assim como pensar em uma emergência e alguns gastos extras com mimos com roupinhas, caminhas entre outros.

Atenção e cuidados básicos

Algumas raças de cães precisam de mais atenção e carinho que outras. Imagine sair de casa para o trabalho pela manhã e retornar a noite cansado. Além do cão ter ficado o dia todo preso sozinho, você ainda chega cansado e sem disposição para brincar com ele. Uma frustação para o bichinho.

Aproveite o tempo extra no final de semana para leva-lo para um passeio afim de queimar a enegia dele. Leve-o a um local ao ar livre para correr, brinque com ele e demostre todo seu amor por ele.

Educação canina

É importante que ele perceba que além de brincar e de carinho você também precisa dar limites a ele. O filhote é como uma criança, é preciso ensinar cedo o certo e o errado. Se tem tempo suficiente, você mesmo pode ensina-lo como comportar em casa e diante das visitas, onde fazer sua necessidades e como expressar seus sentimentos.

Para fazer um adestramento inteligente, use um livro de educação canina. Caso não tenha tempo, contrate um adestrador profissional, que terá um ótimo resultado, de acordo com a capacidade e limites de cada raça.

Ter um cachorro em casa exige grande responsabilidade, você deve alimenta-lo todos os dias, levar para tomar banho periodicamente, e tosa sempre que necessário, cuidar para que não fique doente e, se caso acontecer, leva-lo ao veterinário e administrar os medicamentos orientados pelo mesmo. Dar carinho e oferecer proteção.

Mesmo com todos esses trabalhos, a companhia de seu cão será indispensável, um grande elo de amor e fidelidade se formará.

Fonte: dogsdogs

Como calcular a idade do cachorro em anos humanos e caninos

Idade Canina

Idade Canina

Aquela afirmação de que os cães envelhecem 7 anos para cada ano humano é uma crença popular. Os cachorros envelhecem muito mais rápido nos primeiros 2 anos de vida, como podemos analisar na tabela ilustrativa deste artigo.

Trocando em miúdos, o cachorro envelhece, no primeiro ano de sua vida, o equivalente a 16 anos humanos. Ou seja, quando ele completar um ano de vida estará em plena adolescência! E tem mais… Quando completar 2 anos terá o equivalente a 24 anos humanos. E somente a partir do terceiro ano que as coisas começam a mudar com relação ao envelhecimento, já que a partir desta idade cada cachorro envelhece de acordo com o seu tamanho.

Explico: para raças pequenas e médias, o cão envelhece 5 anos civis para cada ano canino. Para as raças grandes o envelhecimento é de 6 anos para cada ano civil e, por fim, as raças gigantes envelhecem 7 anos para cada ano humano.

Como descobrir a idade de um cão adotado ou cão de rua (vira-latas)?

Se você não sabe a idade de um cachorro, saiba que existem algumas dicas que podem lhe ajudar a desvendar este mistério.

– Dentes: o cachorro faz a troca dos dentes de leite pelos dentes permanentes no sétimo mês. Então, se você encontrar um cachorro que possui os dentes brancos e limpos, provavelmente ele tem um ano (ou menos) de vida. Se os dentes estiverem meio amarelados, sua idade tende a ser entre um ano e dois anos. Se perceber que além de amarelados, os dentes possuem tártaros, então a idade pode estar entre 3 e 5 anos. Para a falta de dentes, é sinal de que o cachorro já apresenta uma idade avançada.

– Musculatura: os cachorros mais jovens tem musculatura definida por estarem mais ativos e com energia corporal de sobra. Já os cachorros mais velhos apresentam menos músculos.

– Olhos: quando jovens são brilhantes e claros. Quando mais velhos ficam opacos e escuros.

– Pelagem: os cachorros jovens apresentam pelos mais finos e macios, enquanto os cães adultos apresentam pelagem mais grossa e oleosa. Os cachorros mais velhos apresentam manchas brancas em sua pelagem e, principalmente, em volta do focinho.

Tabela de comparação de idade canina com idade humana

Comparação de Idade do seu Cachorro com a Idade do Ser Humano

Comparação de Idade do seu Cachorro com a Idade do Ser Humano

Fonte: dogsdogs