Buldogue Francês – Características e Comportamentos

O Buldogue Francês é uma raça que encanta a todos, principalmente os fãs desses cãezinhos de nariz achatado.
 
País de origem: França
Ano: por volta de 1800
Função original: cão de colo
Função atual: cão de companhia
Pelagem: lisa, curta, macia e brilhante
Peso médio: 8kg a 14kg
Tamanho: aproximadamente 35cm
Expectativa de vida: 12 a 14 anos

História e Origem

Buldogue Francês

Buldogue Francês

O Buldogue Francês, também conhecido como Frenchie, é uma raça que deve sua existência a pelo menos três países: Inglaterra, França e EUA. A Inglaterra ajudou com a base da raça, que foi o antigo Buldogue. Criadores franceses transformaram esses pequenos Bulldogs em um tipo francês distinto, e criadores Americanos foram os primeiros a exigir as tão conhecidas orelhas de morcego.
 
Hoje, os Buldogues Franceses são excelentes cães de companhia, e um dos cães mais especiais que existe. Sua carinha engraçada e seu temperamento divertem as pessoas enormemente, então é difícil passear com um Frenchie sem chamar atenção.

Cores da pelagem

Buldogue Francês

Buldogue Francês

A classificação das cores de Buldogues Franceses é objeto de estudo e de muitos debates de vários criadores no Brasil e no mundo. Infelizmente, o Padrão da Raça não é muito específico ao tratar de cores de pelagens e pode abrir margens às interpretações pessoais dos criadores.

De modo simples, as cores de pelagem de um Bulldog Francês podem ser simplesmente descritas como fulvo, com uma variedade de marcações e tons possíveis. O fulvo pode variar de tom desde o vermelho vivo e intenso ao café-com-leite e o dourado claro quase creme. As outras diferenças são devidas a variações de marcações, que variam desde o tigrado (listras negras em grau variável de repetição e grossura, que preenchem o fundo fulvo), até o pied (várias marcações tigradas com fulvo em um fundo branco) e o fulvo com máscara negra (fulvo, em suas tonalidades diferentes, com uma máscara negra clássica em sua face e, às vezes em algumas linhagens, em seu dorso também). São infinitas variações de tipos de marcação, de padrão, tamanho e localização nesses parâmetros.

Algumas cores como o azul, o cinza, o preto com marrom, o marrom e o fígado, não são reconhecidas pelo Padrão da Raça e são motivos de desclassificação em exposições de estrutura e beleza. Pequenas pintas escuras em cães pied são chamadas de ticking e não são almejadas. Não há uma tradução adequada para a palavra “pied” em português. Os exemplares completamente brancos sem marcações são classificados dentro dos “pieds” para fins de exposições caninas; mas seus cílios e contorno dos olhos devem ser pretos assim como os dos outros Buldogues Franceses.

Temperamento

Buldogue Francês

Buldogue Francês

O temperamento do Buldogue Francês também confere um tom especial à raça, são cães normalmente alegres, calmos, companheiros, brincalhões e muito inteligentes. Como todas as raças de companhia, eles necessitam, acima de tudo, de contato constante com humanos. Suas necessidades de exercícios são mínimas e variam de cão para cão. Sua natureza calma os torna grandes escolhas para aqueles que vivem em apartamento, assim como sua falta de interesse em latir.
 
Sendo uma raça de cara achatada, é essencial que seus futuros donos entendam que Buldogues Franceses não devem viver fora de casa. Seu sistema de respiração comprometivo não os permitem regular suas temperaturas eficientemente. Além do mais, os Bulldogs Franceses são bem pesados e podem ter dificuldade em nadar. Sempre cuidado quando exercitar seu Buldogue Francês no calor.
 
O nível de energia de um Buldogue Francês pode variar de hiperativo e energético até a relaxado e calmo. Mas geralmente é comum que o filhote seja mais ativo até os 12 ou 18 meses, quando ele se torna efetivamente um adulto e começa a acalmar.
 
O Buldogue Francês é uma raça essencialmente com sangue bull e sangue terrier. Portanto, não é nenhuma surpresa que os problemas podem surgir quando dois cães dessa raça se juntam, principalmente quando são do mesmo sexo. Donos que estão considerando adicionar um segundo cão à sua família são geralmente advertidos e aconselhados a escolherem cães de sexo oposto. A castração pode fazer muito a fim de ajudar a diminuir essas tendências antes mesmo delas começarem.

Com a família

Buldogue Francês

Buldogue Francês

Ele até escolhe um dono preferido, mas é festeiro com todos da casa. Adora colo, carinho e demonstrações de afeto em geral. Embora não seja particularmente absorvente, não perde uma oportunidade de se aproximar para ganhar um cafuné. Recebe as pessoas com alegria e, se não for desestimulado desde cedo, com muitas lambidas de amor. Também é de seguir os donos pela casa, oferecendo companhia em tempo integral.

Com pessoas estranhas

Salvo Buldogues que crescem enclausurados e afastados do convívio social, o que não é nada indicado, os cães da raça são simpatia pura com todo mundo. Podem dar três ou quatro latidos para avisar que as visitas chegaram, mas nada que represente hostilidade. Pelo contrário. Já recepcionam os visitantes abanando a cauda, que, aliás, de tão curta, ocasiona um típico rebolado geral na região posterior. Também pede carinho aos convidados e, volta e meia, os chama para brincar, levando seus brinquedos até eles.
 
Se ele crescer longe do convívio com a garotada, pode se assustar quando for apresentando à típica energia ruidosa dos baixinhos humanos. Sua tendência, contudo, é manifestar seu receio procurando um recanto escondido e não se mostrando agressivo. Já exemplares acostumados com crianças tendem a ser tolerantes com elas e receptivos às suas brincadeiras. Vale lembrar que o Buldogue Francês, por ser pequeno, pode sair machucado se a folia passar dos limites. Por isso, supervisione a relação caso os pimpolhos sejam muito pequenos ou estejam muito agitados.

Com outros cães e animais

Nem sempre o convívio entre exemplares machos – seja dois Buldogues ou um Buldogue e um cão de outra raça – funciona. Há vários relatos de conflito. Por outro lado, há também diversos casos de amizade harmoniosa. O sucesso ou fracasso dessa relação parece regido pelo espírito de liderança dos cães envolvidos: é importante que haja no máximo um líder na história. Já entre fêmeas, embora haja exceções, o convívio tende a ser pacífico. E com outros animais, desde que o Buldogue tenha crescido com eles, o dia-a-dia é promessa de paz e união. De forma geral, no entanto, os exemplares da raça tendem a aceitar os bichos com os quais convivem e não os desconhecidos. Por isso, se a idéia é introduzir um novo colega do reino animal no território de um Buldogue adulto, recomenda-se um período de adaptação devidamente supervisionado.

O Buldogue Francês late muito?

Discreto por natureza, o Buldogue Francês late pouco e, quando o faz, é em tom rouco e baixo. Só se manifesta com latidos quando chegam visitas ou diante de acontecimentos que fujam da rotina. Mesmo assim, histeria não é com ele. Dá o seu aviso e logo se aquieta novamente. A vizinhança agradece.

Destrutividade

Na infância, especialmente na fase de troca dos dentes, ele até apronta suas travessuras. Mesmo assim, nada de excepcional nem que não seja facilmente contornado com a devida orientação da família e com oferecimento de brinquedos apropriados. Quanto aos adultos, o mais comum é que não desapontem a família. Os raros casos de exemplares destruidores estão associados a donos significativamente ausentes e a ambientes desestimulantes, sem brinquedos nem qualquer tipo de atração para os cães.

Obediência

Ele não é dos mais obedientes. Mas, graças à natureza bem-comportada e pouco destruidora, as teimosias da raça não costumam se transformar em problemas de convívio. No conhecido ranking de obediência canina publicado no livro A Inteligência dos Cães, do psicólogo Stanley Coren, o Buldogue Francês obteve a 58a colocação entre as 79 estabelecidas. A avaliação do resultado detalha: os exemplares da raça tendem a repetir um mesmo exercício de adestramento por mais de 25 vezes até que demonstrem compreendê-lo. E geralmente só o assimilam totalmente após expostos a ele de 40 a 80 vezes. No dia-a-dia, contudo, quando a questão principal é seguir as normas domésticas e respeitar as vontades dos donos, o estilo desobediente exige apenas uma dose extra de paciência dos familiares para repetir duas ou três vezes alguns dos chamados e das ordens que o Buldogue insistir em ignorar.

O Buldogue Francês é muito agitado?

O Buldogue Francês é medianamente ativo. Gosta de brincar com pessoas, com outros cães e até sozinho. Também nunca dispensa convites para atividades mais enérgicas. O focinho achatado, no entanto, que interfere na respiração, impede que tenha grande resistência. Os donos, por sua vez, devem evitar que ele extravase sua energia. Há relatos de exemplares que, por terem se agitado demais, acabaram com graves complicações cardiorespiratórias. O lado sossegado da raça também se manifesta com freqüência. O Buldogue é daqueles que ficam horas assistindo à TV ao lado da família.

Inteligência

Ele se destaca quando o assunto é associar causa e efeito dos acontecimentos. É do tipo que sabe quando os donos estão de saída só por vê-los se arrumando e que reconhece a hora do passeio porque alguém pegou a coleira. Também resolvem alguns probleminhas por conta própria. Como são calorentos, não é raro que, em dias quentes, virem a vasilha de água para deitar sobre o chão molhado ou mesmo que entrem nela para uma refrescada mais caprichada. Justamente por isso, os criadores experientes recomendam cautela. Há casos de exemplares que optaram por mergulhar nas piscinas da casa. Acabaram afogados por não conseguir sair delas.O Buldogue é o 58º no ranking de inteligência.

FONTE: Tudo sobre Cachorros

Anúncios

Raça de Cão CHOW CHOW

Por apresentar uma aparência bastante peculiar, o famoso cachorro de “língua azul” encanta muitas pessoas com seu comportamento calmo e educado. Assim resolvi falar mais sobre essa bela raça. Leia mais sobre eles:
Raça de Cão Chow Chow

Raça de Cão Chow Chow

O Chow Chow é um cão exótico e tem duas características anatômicas únicas: A boca e língua na cor violeta escura e um andar estiloso, devido a ausência de angulação dos membros posteriores.

Apesar de ser muito usado como cão de companhia, ele também é um ótimo cão de guarda que late pouco. É bem tranquilo e reservado (não é do tipo que faz festa), é independente e chega até ser teimoso e um pouco difícil de se treinar.
 
É um cão de temperamento calmo, independente e corajoso. É fiel e apegado ao seu dono, mas não é do tipo que costuma demonstrar muito. Muito desconfiado com estranhos.

História da Raça

O Chow Chow provavelmente se originou na Mongólia, onde foi considerado nos primórdios da história o guardião dos templos contra as influências dos espíritos malignos.
As origens do Chow Chow são muito antigas e ele já era representado em pinturas e vasos na China  desde a dinastia Han ( de 206 AC a 22 DC ). Embora não exista consenso sobre as origens dos chow chows, é provável que eles sejam resultantes do acasalamento entre cães tipo spitz e cães molossos, provavelmente do dogue do tibete, o que explicaria muitas de suas características físicas.
Chow Chow Google

Chow Chow Google

Os chineses possuem uma lenda sobre a tal “língua azul” do cão a qual diz que durante a criação do universo, quando Deus resolveu pintar o céu de azul, teria deixado cair algumas gotas de tinta no chão, então, um Chow Chow, que observava o trabalho, lambeu as gotas ficando com a boca azulada.
Na China  o Chow Chow era utilizado em diversas funções, desde cão de tração, cão de guarda, de combate e de caça, até mesmo, infelizmente, como alimento e como animal de pele. Existiam criações de cães desta raça voltadas exclusivamente para o abate, pois sua carne era, e ainda é, considerada uma iguaria em muitas regiões da Ásia, além disso sua pele era apreciada para a confecção de roupas e agasalhos, não apenas na Ásia mas também em algumas regiões da Europa. A raça chegou a Europa pela primeira vez em 1820, levado por tropas inglesas, os primeiros Chow Chows, foram considerados animais tão exóticos, que foram exibidos em um zoológico na Inglaterra. Em 1865 a rainha Vitória recebeu um exemplar e em 1887 a criação do Chow Chow foi iniciada na Inglaterra. A criação inglesa desta raça visava, principalmente, suavizar seu temperamento, tornando a raça mais sociável, sem perder suas características físicas únicas. Dentre as personalidades importantes da época que adotaram o Chow Chow como cão de estimação estão Sigmund Freud e Konrad Lorenz.

O pelo farto próximo ao rosto, lembra a juba de um leão. Por isso, o Chow Chow é mais conhecido na China como Songshi Quan, que significa cão leão empolado.

Mais Sobre a raça

CHOW CHOW
Existem duas variedades de Chow Chow, uma de pêlo longo, outra de pêlo curto, sendo que a primeira é muito mais difundida. Ele não costuma se dar bem com outros cães, especialmente se forem do mesmo sexo. A raça, por seu temperamento independente, não está entre aquelas predispostas a obedecer (76ª colocação no ranking de inteligência canina de Staley Coren) e exigirá paciência e dedicação do seu dono.
Por ser meio desconfiado e “na dele”, recomenda-se que o Chow Chow seja sociabilizado com outros cães e pessoas desde cedo, mas sempre supervisionado pelo dono. Apesar do jeitão indiferente, o cão é sensível, carinhoso, e pode até ficar doente no caso de ausência prolongada do dono.

Cuidados e Dicas

Chow Chow Filhotes / Foto: Clique Animais

Chow Chow Filhotes / Foto: Clique Animais

O Chow Chow por ser um cachorro de porte grande, vive melhor se dispor de um quintal grande para poder se exercitar, além disso deve ser levado para passear com frequência. A sua pelagem deve ser escovada diariamente, banhos muito frequentes devem ser evitados,nunca deve-se deixar este cão se secar sozinho, secadores são necessários devido a pelagem muito densa que não permite que ele se seque completamente, se deixado para secar por conta própria, o que pode causar o aparecimento de fungos. Esta raça pode estar sujeita à incidência de displasia e de entrópio, males genéticos que podem ser evitados com a escolha consciente do filhote e dos pais da ninhada.

Dados 

Altura: Macho: de 48cm a 56cm
Fêmea: de 46cm a 51cm
Peso: Macho: de 20kg a 25kg
Fêmea: de 18kg a 20kg
Grupo: Grupo 5 – Spitz asiáticos
Funções: Companhia, caça, tração, pastoreio e guarda
Grau de atividade: Baixo
Pêlo: Pêlo longo: longo, abundante, denso, eriçado, muito abundane na juba enos culotes, possui sub-pêlo lanoso
Pêlo curto: abundante, denso e reto; menos eriçado, textura felpuda, não
lisa.
Cor: Preto unicolor, vermelho, azul, fulvo, creme ou branco, com nuanças, mas sem manchas. Sob a cauda e na face posterior das coxas, a cor é mais clara.
Nome de origem: Chow Chow
País de origem: China / Patronagem: Grã-Bretanha
Registro FCI: 205

Curiosidades sobre a raça PUG (CÃO)

pug

RAÇA DE CÃO PUG

Como é o Pug com a Familía?

O Pug é um cão de companhia por excelência, alegre, amoroso, extremamente dócil com todas as pessoas da família, tende a gostar mais de um dos membros em especial, escolhe um dos membros e se torna um verdadeiro grude, te segue pela casa, te espera na porta do banheiro, dorme ao seu lado na cama e em cima de seus pés quando estiver em sua sala vendo tv, adoram ter brinquedos e de vez em quando sempre os pegos com a boca e faz brincadeiras na sua frente solicitando atenção e carinho.

Como é o Pug com as pessoas fora da Casa?

Definitivamente o Pug não é um cão de guarda, não late, o máximo que fará com pessoas estranhas é dar umas “latidas” estilo resmungos de tão baixos para um estranho, mas isso só em sua chegada, logo depois tenha certeza, estará abanando o rabinho e pedindo carinho. Isso vale para qualquer pessoa, portanto se quer um cão de guarda que lata ao ver um estranho, esquece os pugs não são disso.

Como são os Pugs com as crianças?

O Pug é um maravilhoso amigo das crianças, meigo, carinhoso, dócil, ideal para crianças, mas lembre-se terá que cuidar com o pique de seus filhos, visto que o pug é um cão sedentário não aguenta por muito tempo brincadeiras que exijam muito de seu físico, ele gosta mesmo é de tirar uns cochilos após longos 5 minutos de brincadeiras. É um cão delicado no que se refere a seu porte físico, portanto, é importante que você fique de olho em crianças de pouca idade, para evitar problemas com amassos exagerados no estilo “Felícia”.

Como são os Pug’s com outros cães?

O Pug é dócil e tranquilo, isso é fato, mas quando falamos em matilha, em convivência com outros cães, embora não seja da índole do pug, é sempre bom nós humanos ficarmos de olho, visto que numa matilha sempre haverá um líder, e é importante que o líder seja você, caso contrario seus cães começaram a brigar para definir território, e obviamente o pug tentará limitar seu território mas dificilmente terá sucesso numa briga. Mas enfim, o pug é dócil e tranquilo, o que falamos acima são casos a parte e cada caso é um caso, cada cão é um cão, o que vale mesmo é você conhecer seu pequeno e analisar os limites a impor a ele.

O Pug late muito?

Uma coisa precisa deixar claro, o latido do Pug na verdade não é um latido, tá mais para um grunhido e resmungo “latido para dentro” do que um latido propriamente dito, é um cão que em sua maioria é muito silencioso, é o tipo do cachorro que não late quando a campainha toca ou quando chegam visitas. É um cão ideal para quem se preocupa em não incomodar os vizinhos, principalmente para quem mora em apartamento.

O pug é muito ativo?

Possui grau de atividade moderada, mas lembre-se estamos falando no pug com perfil já amadurecido, ou seja, adulto, filhotes são e sempre serão filhotes, sim, vão roer, vão morder suas sandálias se você as deixar de bobeira pela casa e sim são um tanto quando mais ativos, mas isso em fase filhote. Em fase adulta você terá um cão tranquilo que prefere ficar sossegado tirando seus cochilos do que fazendo artes pela casa, é o companheiro ideal para quem gosta de passar longos tempos na frente da tv ou do computador. Não pense que poderá sair fazer caminhadas por mais de 20 minutos em tempo extremamente fresco com seu pug, pois não conseguirá, ele gosta mesmo é de sombra e água fresca. Se você é ativo e gosta de se exercitar e procura um cão que lhe acompanhe é bom desistir do pug e pensar seriamente em ter um bulldogue francês.

O pug é obediente?

É um cão com personalidade própria, como normalmente ficam sossegados suas desobediências normalmente não representam grandes transtornos. Mas saiba que quando um pug não está muito a fim de fazer algo, ele simplesmente não faz e pronto. Adestramento com profissionais ajudam e muito, assim como a educação que você dará a seu Pug no decorrer de seu convívio com ele.

O pug é destrutivo?

Como já dito acima, com exceção de sua fase de filhote, definitivamente o pug não é um cão destrutivo, são naturalmente muito bem comportados chegando a aprender fazer suas necessidades fora de casa no lugar certo até mesmo sozinho.

O pug é muito inteligente?

Associam tudo muito facilmente, como dito tem personalidade própria e com isso vivem surpreendendo seus donos, são daqueles que ao ver um apetrecho de banho ou o menor sinal de que vai visitar o veterinário, logo encontra um local para tentar se esconder. São versáteis e encontram soluções mirabolantes para tirar seus brinquedos de baixo dos armários ou atrás do sofá, e ainda assim caso não consigam cumprir seu objetivo, vão dar um jeito de chamar a atenção de seu dono para resolver seu probleminha.

Banhos e Escovações do Pug

Cães de pelo curto normalmente são mais práticos de seu cuidar no que se refere a escovação e banhos, seus pelos não dão nós, e embora suas quedas de pelo sejam um pouco mais intensas, nada que uma boa escovação 3 vezes por semana e um belo banho a cada 15 / 20 dias não resolva o problema. Caso de banhos em casa, na hora de secar seu pug jamais use o secador em intensidade de calor muito grande, lembre-se o pug é um cão que gosta de locais frescos, calores em excesso não são indicados.

O melhor clima para o Pug

O focinho ou trufa achatado trás grandes dificuldades respiratórias ao Pug o que o torna suscetível a hipertermia, que se trata de um superaquecimento da temperatura do corpo, e isso acredite, pode levar seu pug a morte em questão de minutos, este fator também ocorre com os buldogues ingleses. Portanto, para manter uma boa qualidade de vida a seu pug, mantenha-o sempre em locais frescos, com ventilador ligado e água fresca. Se for levar seu pug para viajar é importante que seu carro tenha ar condicionado, caso não tenha, janelas sempre abertas, e um conselho se você puder, compre um saco de gelo.

Raça de Gato Sphynx ou Pelado Canadense – Curiosidades

O Sphynx, não e fruto de manipulações genéticas. O gene responsável pela sua nudez é a « alopécia hereditaria » e é recessivo.

No ano de 1966 em Ontário no Canadá, uma gata numa quinta, deu a luz em uma ninhada um gato totalmente nu. Na ninhada seguinte voltou a acontecer o mesmo, então estes gatos deram origem a uma nova raça que começaram a ser chamados “Moon’s Cats” (Gatos da Lua), em seguida de “Canadian naked” ou Canadense Nu e finalmente como nome que tem atualmente SPHYNX.

O Sphynx como nós conhecemos hoje em dia nasceu em 1975, quando os agricultores Milt e Ethelyn Pearson descobriram um gatinho sem pelo numa ninhada de Jezabelle, a sua gata, que tinha um “casaco” absolutamente normal. Este gatinho, curiosamente chamado Epidermis (epiderme) juntou-se a outro gatinho sem pelo chamado Dermis (derme). Os dois foram vendidos a uma criadora do Oregon, Kim Mueske, que os usou para fazer nascer a nova raça. No Minnesota, Georgina Gattenby também trabalhou a linha dos Pearson, usando gatos vermelhos para fortalecer a mistura de genes. Esta linha mostrou-se ser muito saudável. O nome sphynx (esfinge) foi escolhido pela semelhança com a grande esfinge de Gizé, Egito.

Em 1978, a criadora canadiana Shirley Smith ficou com um gatinho sem pelo chamado Bambi, que neutralizou e manteve como animal de companhia. A mãe de Bambi deu à luz mais dois gatinhos sem pelo que foram enviados, em 1983, a um holandês. O doutor Hernandez criou os dois gatinhos, Punkie e Paloma, e juntou-os a um Devon Rex. A sua descendência, em conjunto com os descendentes dos gatos dos Pearson, foram à fundação da raça sphynx. Os criadores, entretanto descobriram que, embora o gene «sem pelo» fosse recessivo para com o gene do pelo curto, mostrava-se dominante perante o gene do pelo dos Devon Rex, o que fez aumentar o número de membros da nova raça.

 Aparência

Quem os vê pela primeira vez chega a assustar, pois o padrão de felinos (gatinhos) que as pessoas têm não condiz com o visual que os Sphynx apresentam, o Spynx é um gato de corpo musculado de aparência fina, mas de ossatura forte.

  • Cabeça – Angulosa de forma triangular com a fronte plana e com rugas, maçãs do rosto bem salientes.
  • Nariz – Largo, curto e com stop bem definido ( o nariz direito é penalizado nesta raça ).
  • Olhos – Grandes em forma de limão, um pouco oblíquos, bem espaçados, e com um olhar muito expressivo.
  • Todas as cores são admitidas.
  • Orelhas – Grandes quanto maiores melhor, bem afastadas e largas na base, com os bordos arredondados.
  • Patas – Devem ser longas, finas e musculosas, com os pés ovais de dedos longos, com almofadas bem espessas.
  • Pele – O mais nua possível, com uma textura que lembra a camurça ou a pele do pêssego, quente ao toque e muito agradável de acariciar, deve conservar rugas no pescoço, peito e patas.
  • Só são admitidos pelos na base das orelhas, nariz, ponta da cauda e testículos. (A falta de rugas também é penalizada em exposições.) Todas as cores e padrões são admitidos.
  • Ventre – Cheio e redondo, como depois de uma refeição farta.
  • Cauda – Longa e afilada.
  • Temperatura do corpo é em torno de 39ºC (Ser Humano é de 36ºC), dando a impressão de que estão com febre.

Por não possuir pelos, essa raça é muito procurada por pessoas desinformadas que acham que pelos provocam alergia, quando na realidade o fator causador encontra-se nas descamações da pele dos animais. Portanto, deve-se deixar claro que esta raça não é hipoalérgenica.

Comportamento

O Sphynx é um gato muito afetuoso até possessivo, muito agarrado ao seu dono, tipo “chiclete-no-sapato”, gosta muito de ser mimado. É um gato vivo sociável, muito inteligente, enérgico, muito brincalhão e nunca agressivo. Quando o dono chega a casa procura imediatamente a sua companhia e recebe-o com grandes demonstrações de carinho e muita brincadeira. O comportamento destes animais são admiráveis chegando a eleger um dono ao qual se dedicará até o fim de suas vidas. A ausência de bigodes, os tornam muito desajeitados as vezes não conseguindo subir em lugares altos, desequilibrando facilmente. De acordo com o standard francês, o sphynx é macaco, cão, criança e gato misturados. Ou seja, gostam de acrobacias, são leais e seguem os humanos para todo o lado de cauda levantada e felizes da vida, estão sempre a pedir atenção por parte dos donos e, finalmente, são gatos.

Cuidados

O Sphynx, como todos os gatos é capaz de fazer a sua própria higiene, mas devido às suas características necessita de alguns cuidados extras para a sua higiene. Como a sua pele por falta de pelo não elimina a gordura, deve ser limpo com um pouco de leite de toalete para bebe, toaletes sem álcool ou lenços umedecidos, uma vez por semana. Deve-se observar que loções adstringentes limpam de fato a oleosidade da pele, mas sem o devido cuidado pode haver o ressecamento da pele do animal gerando uma escamação anormal ou em casos mais graves até feridas… Banho, uma vez por mês com um xampu neutro. Este procedimento além de tonificar e facilitar a circulação evita problemas de pele (dermatoses). Cuidado com o sol direto, pois a sua pele como é nua bronzeia com muita facilidade podendo ocorrer queimaduras solares. Alguns criadores passam protetor solar nos animais, mas, como os protetores são em sua maioria gordurosa, a oleosidade da pele pode aumentar visivelmente multiplicando exponencialmente os cuidados… Os canais lacrimais devem ser limpos com uma loção (Optrex) ou soro fisiológico, pois produzem uma geleia acastanhada. Orelhas devem ser limpas uma vez por semana, pois cria um cerúmen castanho, uso normalmente Otoclean que ajuda a evitar problemas com otites (infecções no ouvido). Limpar também as patas assim como as almofadas retirando corpos estranhos e cortar regularmente as unhas com alicates próprios para o efeito.

Alimentação

Deve ser usada uma alimentação a base de croquetes, topo de gama rica em calorias pois o Sphynx precisa de uma alimentação forte devido a perda de calor pela sua pele nua. Ter sempre água limpa e fresca a sua disposição. Todos os gatinhos devem ser desparasitados uma vez por mês até aos 6 meses, depois de 6 em 6 meses na fase adulta. Desparasitar sempre antes do rappel (revacinação anual) das vacinas que deve ser feito todos os anos.

Referencial Bibliográfico:

http://www.zarcka.com Retirado 27/02/2013/.

http://www.portalsaofrancisco.com.br – Retirado 27/02/2013/.

http://www.dasesfinges.com – Retirado 27/02/2013/.

“História gato Sphynx” – Retirado 27/02/2013/.