Administração: Registrando sua empresa

Registrando sua empresaO registro de uma empresa compreende os procedimentos burocráticos necessários para a formalização do empreendimento. Esse registro varia de acordo com a região onde ela se encontra e depende do tipo de sociedade constituída.

 

 

Junta Comercial

Registrando sua empresa

Registrando sua empresa na Junta Comercial

É o órgão estadual onde será registrado o nome da empresa. Antes de registrá-la, é feita uma pesquisa para saber se já existe alguma empresa registrada com o mesmo nome.

 

Receita Federal

 Receita Federal

Receita Federal

É órgão que regulamenta e fiscaliza a vida financeira das empresas. Para fazer essa fiscalização é registrado o CNPJ – Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica – da empresa, que é o CPF das empresas.

 

 

Secretaria da Fazenda

Registrando sua empresa no Ministério da Fazenda

Registrando sua empresa no Ministério da Fazenda

Devem ser registradas nesse órgão as empresas que trabalham com venda de mercadorias. No ato do registro, as empresas recebem um número chamado Inscrição Estadual.

 

Instituto Nacional de Seguro Social (INSS)

É o órgão do Governo Federal que faz o pagamento dos aposentados e pensionistas, de auxílio-doença, entre outros benefícios. Ele é calculado por meio de um percentual retirado do salário do trabalhador. Esse percentual está de acordo com a sua faixa salarial.

 

Sindicatos

São organizações que protegem os direitos dos trabalhadores de determinadas classes de trabalho.

Existem também os Sindicatos Patronais, que protegem os direitos das empresas e dos patrões. As empresas devem ser registradas nos dois sindicatos obrigatoriamente.

Órgãos de Classe

São órgãos federais e estaduais que representam profissionais de uma determinada classe. A empresa deve ser registrada em órgãos de classe, para saber se os profissionais contratados são registrados e habilitados.

ÓRGÃOS DE CLASSE
Devem ser Registrados no(a):
Administradores CRA – Conselho Regional de Administração
Enfermeiros COREN – Conselho Regional de Enfermagem
Analista de Sistemas CREI – Conselho Regional de Informática
Educador Físico CREF – Conselho Regional de Educação Física
Corretor de Imóveis CRECI – Conselho Regional de Corretores de Imóveis
Psicólogos CRP – Conselho Regional de Psicologia

 

Bibliografia

CONARQ – Conselho Nacional de Arquivos

CAMARGO, Ana Maria de Almeida; BELLOTTO, Heloisa Liberalli.

CHIAVENTAO, Idalberto. Introdução à Teoria Geral da Administração: Uma visão abrangente da moderna Administração das organizações – 7ª Ed. Rev. E Atual. – Rio de Janeiro: Elsevir, 2003.

 

Anúncios

Rotinas do Setor Financeiro – Contas a Pagar

Contas a PagarFluxo de Informações da empresa

A saúde financeira da empresa depende de um rigoroso controle do fluxo de informações financeiras, controles gerenciais para a tomada de decisão, controle do capital de giro, controle de contas a pagar e a receber, permitindo ao administrador uma visão clara, a fim de que ele possa planejar, dirigir e controlar os recursos financeiros disponíveis.

Contas a Pagar

O ciclo de contas a pagar tem início no departamento de compras, no departamento de recursos humanos e em outros núcleos da empresa. Pagamentos indevidos, ainda que de montante baixo, podem gerar grandes prejuízos para a empresa.

Os pagamentos só devem ser efetuados após comprovadamente pertinentes.

  • Validados e Autorizados.

Modelo Básico

validacao, autorizacao e processamento do contas a apagar

A pessoa responsável pelas contas a pagar deve ter uma atenção à folha de pagamento, os encargos sociais e as obrigações trabalhistas, que devem ser pagas pelas empresas mensalmente ou anualmente. Além de outras despesas e custos necessários para a manutenção das atividades da empresa, que servem como apoio para que a empresa atinja seus objetos.

Os pagamentos devem ser cercados de extrema cautela e vinculados às documentações correspondentes, tais como:

  • Recibos (cópias);
  • Duplicatas Quitadas;
  • Boletos Quitados.

Os documentos, inclusive a comprovação de cotação de preço, devem ser anexados e verificados.

  • Confirmação com o fluxo de caixa;
  • Informação à contabilidade.

Gerar relatórios de controle diário:

  • Relatórios por ordem de valor;
  • Relatórios por essencialidade;
  • Relatório de baixa (pagas);
  • Relatório de pendências (a pagar);
  • Orçamento de caixa.

Passos que devem ser seguidos no contas a pagar

  1. Passo: O setor responsável valida o pagamento ou seja ele confere;
  2. Passo: Os gestores e sócios devem aprovar também;
  3. Passo: Processamento e pagamento

Importante: Para que possa ser efetuar uma compra antes deve ser feito um processo de cotação.

Exemplo de Relatórios de contas a Pagar

Exemplo de Relatórios de contas a pagar

O que é Benchmarking ?

Benchmarking

O benchmarking é um dos mais úteis instrumentos de gestão para melhorar o desempenho das empresas e conquistar a superioridade em relação à concorrência. Baseia-se na aprendizagem das melhores experiências de empresas similares e ajuda a explicar todo o processo que envolve uma excelente “desempenho” empresarial. A essência deste instrumento parte do princípio de que nenhuma empresa é a melhor em tudo, o que implica reconhecer que existe no mercado quem faz melhor do que nós. Habitualmente, um processo de benchmarking arranca quando se constata que a empresa está a diminuir a sua rentabilidade. Quando a aprendizagem resultante de um processo de benchmarking é aplicada de forma correta facilita a melhoria do desempenho em situações críticas no seio de uma empresa

Benchmarking é… Benchmarking não é…
um processo contínuo um evento isolado
uma investigação que fornece informações valiosas uma investigação que fornece respostas simples e “receitas”
um processo de aprendizado com outros cópia, imitação
um trabalho intensivo, consumidor de tempo, que requer disciplina rápido e fácil
uma ferramenta viável a qualquer organização e aplicável a qualquer processo mais um modismo da administração

 

Benchmarking surgiu como uma necessidade de informações e desejo de aprender depressa, como corrigir um problema empresarial.

A competitividade mundial aumentou, acentuadamente nas últimas décadas, obrigando as empresas a um contínuo aprimoramento de seus processos, produtos e serviços, visando oferecer alta qualidade com baixo custo e assumir uma posição de liderança no mercado onde atua.

Na aplicação do Benchmarking, como todo o processo, é preciso respeitar e seguir algumas regras e procedimentos para que os objetivos sejam alcançados e exista uma constante melhoria do mesmo. Neste processo existe um controle constante desde sua implantação (plano do processo) até a sua implementação (ação do processo).

A empresa interessada em implantar benchmarking deve analisar os seguintes fatores: ramo, objetivo, amplitude, diferenças organizacionais e custos, antes da definição ou aplicação do melhor método, pois cada empresa individualmente tem as suas necessidades que devem ser avaliadas antecipadamente à aplicação do processo.

Outra vantagem do benchmarking é a mudança da maneira de uma organização pensar sobre a necessidade para melhoria. Benchmarking fornece um senso de urgência para melhoria, indicando níveis de desempenho atingidos previamente num processo de parceiro do estudo. Um senso de competitividade surge à medida que, uma equipe, reconhece oportunidades de melhorias além de suas observações diretas, e os membros da equipe tornam-se motivados a se empenhar por excelência, inovação e aplicação de pensamento inovador a fim de conseguir sua própria melhoria de processo.

É necessário que as organizações que buscam o benchmarking como uma ferramenta de melhoria, assumam uma postura de “organização que deseja aprender com os outros” para que possa justificar o esforço investido no processo, pois essa busca das melhores práticas é um trabalho intensivo, consumidor de tempo e que requer disciplina. Portanto, benchmarking é uma escola onde se aprende à aprender.

Saber fazer e adaptar benchmarking no processo da organização pode nos permitir vislumbrar oportunidades e também ameaças competitivas, constituindo um atalho seguro para a excelência, com a utilização de todo um trabalho intelectual acumulado por outras organizações evitando os erros é armadilhas do caminho.

Mais do que uma palavra mágica, o benchmarking é um conceito que está alterando consideravelmente o enfoque da administração, onde o mesmo é composto de atributos que determinarão o sucesso ou ainda a sobrevivência das empresas.

 

Referencial Bibliográfico

Camp, Robert C., Benchmarking O caminho da Qualidade, São Paulo, Pioneira, 1993.

Pagliuso, Antônio Tadeu. Benchmarking: Relatório do Comitê Temático, Rio de Janeiro, Qualitymark, 2005. ISBN 85-7303-551-X

 BOGAN, Christopher – Benchmarking – Aplicações Práticas e Melhoria Contínua – Makron Books

 ARAÚJO, Luiz César – Organização, Sistemas e Métodos e as Modernas Ferramentas de Gestão Organizacional – São Paulo, Atlas: 2001